La Brújula Educativa y sus artículos son presentados en Portugués.

INTELIGÊNCIA SUCESSÓRIA E COACHING NAS IES


Compartilhe:

Existem dois tipos de sucessões nas IES: a passagem de bastão do fundador da IES e, a sucessão ou substituição de um indivíduo em função estratégica. Em ambos os casos, a mudança ou transição é algo delicado. O processo sucessório deve transmitir o legado, a cultura, fazendo com que o negócio mantenha a mesma capacidade produtiva (ou mais) e ainda, solidez às futuras gerações e futuros gestores.

Assim, se a sucessão não for bem alinhada às diretrizes, necessidades e características da IES, pode comprometer todo o resultado construído ao longo do tempo. Disso depende os resultados e a sustentabilidade da mesma.

A estruturação desse processo sucessório pautada no Coaching, aliado à Governança Corporativa, contribui para a criação de um ambiente em que gestores e IES sintam-se seguros no desenvolvimento de sucessores. Ao fazer isso, esses gestores desenvolvem seu papel de coach, contribuindo efetivamente para a obtenção de melhores resultados.

Objetiva assim, o autodesenvolvimento dos líderes da IES, atendendo aos anseios da organização, bem como potencializando qualidades. Trabalha pontos de melhoria de forma a elevar a performance de pessoas e instituição ao mais alto rendimento possível, aumentando os resultados positivos por meio de ferramentas e técnicas conduzidas por um coach, em parceria com o cliente – o coachee.

Coaching para sucessões é um processo com foco na preparação do líder que será sucedido na IES e, também, destina-se àquele gestor que vai assumir cargos de confiança e estratégicos. Ao focar na singularidade deste momento, preparando um novo líder e a instituição para novos desafios. O processo sucessório deve ser encarado como oportunidade única para repensar aspectos estratégicos.

O Coaching, voltado a sucessões atua como agente provocador e moderador, por meio do autodesenvolvimento do gestor, buscando sanar possíveis pontos cegos, temas conflitantes, inseguranças, crenças limitantes, de modo a garantir a sustentabilidade e a perenidade da IES. Assim, mostra-se eficiente não apenas no processo sucessório, na estruturação do processo de governança, mas também, na manutenção e na potencialização dos resultados desejados pela instituição.

Marcello Paskulin

Vânia Hernandes

Consultora Hoper Educação

EXPEDIENTE:

Revisão: Márcio Schünnerman – Diagramação: Laura Neves – Gráficos: Valéria Nascimento

ATENÇÃO: Não é permitida a reprodução integral do conteúdo acima. A reprodução parcial é permitida

apenas na forma de citação e com link para o conteúdo na íntegra. Plágio é crime (Lei 9610/98).

Voltar
Voltar
Voltar
ÚLTIMAS PUBLICACIONES
REGÍSTRATE PARA RECIBIR 
TAGS
SÍGANOS
  • Facebook Clean Grey
  • YouTube Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • LinkedIn Clean Grey